um modelo de ‘estado-libertário’....

[....]a sociedade, para viver, precisa estar em movimento. os conservadores não percebem o próprio movimento da sociedade, e imaginam por isso que não há mais nada a fazer, porque não há mais nada a distribuir. ao contrário, quando a crise impede de distribuir um excedente e chega até a reduzir alguns ganhos,  é necessário redistribuir outra coisa: poderes ou espaços de liberdade. isso leva à dimensão libertária. permanece a necessidade de um estado ainda mais forte do que nos períodos amenos, para servir de escudo: militar, evidentemente, mas também energético ou industrial[....]: alain minc