embrulhando as letras, na citação

graciliano ramos lavava as palavras para embrulhá-las nos livros. literalmente. atualmente, utilizamos o termo ‘embalar’, pois, já não embrulhamos pães. o autor é-me um mistério, de tanto excesso de simplicidade. como pode, num tempo de lá vai poeira, e que escrever colocava-se na tinta? e é de um humor de doer. aliás, essa característica era o chamariz para os leitores na época(minha opinião). veja uma passagem em s. bernardo(romance lançado em 1934):

A princípio o capital se desviava de mim, e persegui-o sem descanso, viajando pelo sertão, negociando com redes, gado, imagens, rosários, miudezas, ganhando aqui, perdendo ali, marchando no fiado, assinando letras, realizando operações embrulhadíssimas. Sofri sede e fome, dormi na areia dos rios secos, briguei com gente que fala aos berros e efetuei transações comerciais de armas engatilhadas.
boa semana!