comportamento: o marceneiro se expressa no tempo da madeira!

a fabricação de pré-modulados prejudicou o trabalho dos marceneiros, principalmente com o limite de desmatamento. se ajuda o reflorestamento por um lado, arruína, por outro, os que fazem a história através de móveis, por exemplo. é o marceneiro que atravessa o tempo.

diones marcelo batista souto, 40, paraense, faz tudo com a madeira: móveis, portas, janelas, cenários.... no momento, presta serviços na marcenaria da cultura, para a confecção dos novos cenários dos programas da tv cultura. já trabalhou em shoppings, supermercados e residências, confeccionando peças em madeiras, mdf, compensado.... para souto, 'é um absurdo a extração de madeiras, apesar de trabalhar com esse material, por isso, fiz a opção da madeira bio-sustentável', explica. e, vai mais adiante ao afirmar que, hoje está mais difícil de encontrar madeiras para móveis, e que o modulado veio para acabar com a utilização das mesmas – 'a proibição pelo desmatamento limitou, em muito, o trabalho'. segundo diones souto, esse tipo de profissão inicia sempre pela necessidade de sobrevivência, mas, com o tempo, passa-se a gostar. são 25 anos prestando serviços de marceneiro, e possui todos os equipamentos necessários. atende pelo fone 8285.2606. como é uma profissão de altos e baixos, incluindo desde restaurações, percebe-se que um marceneiro gosta de confeccionar peças duradouras, como se o tempo fornecesse o certificado de garantia, arte eterna, trabalho compensado, produção comprovada. o que diferencia na produção com madeiras de pouca duração. diz-me lá, quando você admira uma peça antiga(móveis), alguma vez você viu por trás daquela arte, o marceneiro? hum, hum.... claro que não, pois a madeira é o destaque, daí, que esse profissional está presente em cada detalhe minucioso de um produto que atravessa décadas. penso: como tudo ficou descartável....

entrevista concedida no espaço do café cultura, em 21/06/2012.