Rede Globo lança campanha de minissérie com erro protocolar

Gabinete presidencial é retratado com disposição incorreta de bandeiras

A Rede Globo de Televisão veicula, esta semana, nos principais jornais e revistas de circulação nacional a campanha de estreia da Minissérie 'O Brado Retumbante', em que revela 'a vida íntima do homem mais público do Brasil', com um erro de grandes proporções em se tratando de Cerimonial e Protocolo, para o que se pretende ser 'cópia fiel' do fascinante mundo do poder e da política.
 
O anúncio, que retrata a mesa do Presidente da República em seu gabinete de trabalho traz a imagem da Bandeira Nacional brasileira e da Bandeira Insígnia da Presidência, previstas pela Lei nº 5.700, de 1º de setembro de 1971 e Decreto nº 4, de 19 de novembro de 1889, respectivamente, colocadas 'à esquerda', contrastando as recomendações das duas principais legislações do Protocolo nacional, que deixa claro em suas entrelinhas esse posicionamento. 'A Bandeira Nacional em todas as apresentações no território nacional, ocupa lugar de honra, compreendido como uma posição [...] III - À direita de tribunais, púlpitos, mesas de reunião ou de trabalho [...]', comenta o professor Marcelo Pinheiro. Para ele, 'não adianta se pensar em reconstituir, de modo verossímil, os meandros da Presidência, e deixar passar os seus maiores símbolos, como estas bandeiras, presentes em todos os atos que um Presidente comparece', comenta.

De fato, se aspectos minuciosos como este não forem levados a sério, teremos capítulos de alto impacto e de grandes gafes de protocolo – ferramenta das mais importantes num sistema de governo, segundo o professor. 'Assim como a continuidade, a fotografia, os figurinos e os aspectos históricos, o conhecimento e a consulta sobre as lides do Cerimonial devem ser pontuais', afirma.

'Queremos assistir a mais um grande trabalho da emissora, assim como queremos ver respeitados os princípios de uma atividade tão consolidada quanto as demais que serão retratadas pelos autores do Projeto', conclui o professor Marcelo Pinheiro, que formalizou carta a Rede Globo orientado os procedimentos corretos no que diz respeito ao uso e disposição dos Símbolos. É esperar para ver!

Carta enviada a Rede Globo de Televisão orienta procedimentos

Belém, 14 de janeiro de 2012.

À Rede Globo de Televisão

Assunto: Campanha Publicitária da Série “O Brado Retumbante”

Prezados Senhores,

1.          Considerando a veiculação da campanha publicitária de divulgação da minissérie “O Brado Retumbante”, que faz analogia a mesa do presidente da República em seu gabinete de trabalho;

2.       Considerando o uso e disposição da Bandeira Nacional brasileira, bem como da Bandeira Insígnia do Presidente da República no anúncio em epígrafe, enquanto símbolos legais, criados e normalizados por legislação própria, Lei nº 5.700, de 1º de setembro de 1971 e Decreto nº 4, de 19 de novembro de 1889, respectivamente;

3.         Permitam a orientação sobre o uso e disposição incorretos dos citados Símbolos, tendo em vista as recomendações do Protocolo brasileiro para tal tipo de questão, que recomenda o uso da “direita” como princípio, segundo o Artigo 19 da citada Lei 5.700, e Artigo 31 do Decreto 70.274, de 9 de março de 1972 – Lei base do Cerimonial brasileiro – ao citar “A Bandeira Nacional em todas as apresentações no território nacional, ocupa lugar de honra, compreendido como uma posição [...] III - À direita de tribunais, púlpitos, mesas de reunião ou de trabalho [. ..]”.

4.         Na certeza da responsabilidade da Rede Globo de Televisão quanto às escorreitas práticas junto aos seus telespectadores, na busca verossímil da arte, e diante das muitas situações que gravitarão em torno da trama, por sua íntima ligação com o Cerimonial e com o Protocolo, coloco-me à disposição para esclarecimentos complementares.


Professor Marcelo Pinheiro
Relações Públicas, Cerimonialista, Escritor e Professor

cerimonialista@uol.com.br
www.cerimonialista.com


////

Marcelo Pinheiro
(colunista do morenocris.org)