moda do textil pessoal sobrevive e surpreende



com o tema 'o caminho para um sistema de moda da américa latina', será a 24ª edição, a partir do dia 24 de janeiro, apresentando 24 conferências, suporte para o evento da colombiatex a ser realizado em medellín.

com a proposta de promover intercâmbio de comércio entre produtores e distribuidores na indústria textil, máquinas e suprimentos para os investidores, com a inclusão da apresentação de produtos químicos, fibras, insumos, tecelagem, fios, vestuário.... o sistema da moda sustentará os casos internacionais bem sucedidos, como frança, itália, inglaterra e brasil. em 2011, com o tema 'o colombiatex das américas 2011”, realizado de 25 a 27 de janeiro, o evento foi contundente: 'tecidos chineses contrabandeados e alto preço do algodão prejudicam setor'.

pego o gancho dos encontros latinos para falar sobre um mercado que ainda existe, fervilha, surpreende e alimenta a economia. falo da resistência do mundo dos tecidos, o que chama linhas, agulhas, botões, costureiras e alfaiates. o consumidor das medidas exatas, do gosto exclusivo, do econômico(para uns), e de escolhas refinadas(para outros).

segundo airton bezerra, 58, comerciário e gerente responsável pela phoenix tecidos(pe. eutíquio, 1390) - há 15 anos no ramo, bem específico, esclarecendo, porque a loja comercializa tecidos finos, seu ponto forte, na linha festa, a melhor (e mais cara!) -, aproximadamente 10 lojas em belém disputam o mercado de tecidos, sendo diversificadas nos segmentos como malharias, cama e mesa, etc. a empresa local faz parte de uma cadeia distribuída em todo o país. o perfil do seu consumidor retrata o tipo que quer, além do bom gosto, marcar o tempo – aniversário, casamento, colação de grau, e outras cerimônias públicas. para você ter uma ideia, o preço do metro de tecido vai de r$9,90 a r$1.560. as origens são diversas, como a china, indonésia, japão, itália, estados unidos, coreia do norte, taiwan e do único país latino, o chile(linho). 'e vende! seja o preço que for, do metro', revela-me bezerra, tanto que a loja, com oito funcionários, consegue tirar além do investimento. o interessante, é que a phoenix tecidos possui cadastro de 40 costureiras profissionais, nos municípios do estado, e de outras capitais próximas. diferente do número de alfaiates, quer dizer, bem menor, pelo menos, 10 em belém.
 
se há metro de tecido a 1.560 reais, imagine um botão, a 50. disse-me suzete nascimento, 37, do arte & costura, lojinha do shopping pátio belém, há oito anos oferecendo linha, zíper, agulhas, enfim, acessórios de armarinho. e o movimento é intenso, todo o tempo. a maioria do material de venda, é proveniente de fortaleza.

tanto para airton bezerra, como para suzete nascimento, o que talvez seja o paradoxo, no primeiro momento de reflexão, diante de inúmeras ofertas de roupas prontas, estilos diversos, grifes famosas.... a explicação está no personalizar a vestimenta. colocar o dedo no que está acima da pele. e mais, para ele(airton), o paraense não se adequa aos cortes de roupas fabricadas. as medidas não se encaixam. pode ser. talvez. vale um estudo, mais apurado, na área psicológica(minha opinião).

confira as informações citadas:

Vem aí a 24ª edição do Colombiatex
A próxima edição do Colombiatex 2012 vai acontecer entre os dias 24 e 26 de janeiro, em Medellín – Colômbia, e tem como objetivo promover oportunidades de comércio entre produtores e distribuidores na indústria têxtil, máquinas e suprimentos para os compradores e investidores. Ainda, contará com representantes de produtos químicos, fibras, fios, insumos, tecelagem, vestuário, entre outros.

Na 24ª edição o tema será: “O caminho para um sistema de moda da América Latina”. Para Carlos Eduardo Botero Hoyos, Inexmoda CEO, "Esta edição vai mostrar o Sistema da Moda temática, propondo uma reflexão sobre a importância de cada um dos segmentos, e o quanto estão integrados para construir um país forte. Neste sentido, teremos desenvolvimentos que visam responder às necessidades do setor e fazer uma feira muito mais favorável aos negócios".

Em destaque está a nova aliança entre Inexjobs e Inex Moda Jobs, e que tem como objetivo apresentar o segmento de designer têxtil, e as ofertas de trabalho para atender, não só Colômbia, mas também empresas de mercados internacionais relacionados ao Sistema de moda. A feira também conta com um espaço Denim Review, que mostrará a evolução do índigo no mundo, e apresentará as 14 importantes empresas nacionais e internacionais.

Fórum Têxtil e Suprimentos 

As tendências em tecidos e insumos da Primavera-Verão 2012 novamente no fórum de Suprimento Têxtil. Lá, empresários, compradores, estudantes e designers poderão ver a representação dos tecidos e insumos fornecidos através da tendência durante a feira.

Da mesma forma, o Fórum de Têxtil e Suprimentos contará com uma pré-visualização dos conceitos de moda têxtil para primavera-verão 2013 e duas palestras diariamente pela Inexmoda moda Laboratory, chefiada pelo seu director Martha calad, complementando informação de moda entregue.

Aposta da indústria química 

Consistente com a necessidade de trabalhar em conjunto para alcançar a inovação contínua, ligado e virado para o Sistema da Moda, a indústria química, graças à Colombiatex, renova interesse ao estar presente em 2012, com um número significativo de empresas que estão apostando numa colaboração através da sua liderança e conhecimento, facilitando a implementação de novos desenvolvimentos que contribuem para a moda e têxteis do vestuário.

Equipamentos e suprimentos 

As entradas das empresas de máquinas, que também decidiram voltar para a vitrine mais importante do negócio do sistema de moda, entendendo que este é o cenário de negócios ideal para os produtores e distribuidores de matérias têxteis, industriais, aplicações técnicas, equipamentos, máquinas e insumos para a indústria moda e bens de vestuário, casa, calçados e couro. Em 2012, uma presença significativa da máquina, vai destacar os mais recentes equipamentos, como resultado de lançamentos globais feitas na última versão da ITMA, e que é um bom augúrio para o ambiente de negócios.

Espaços de conhecimento 

Consistente com sua missão de formar e profissionalizar Lationamérica Sistema da Moda, Inexmoda continua a consolidar o Pavilhão do Conhecimento Inexmoda - UPB, como a formação do espaço mais poderoso da América Latina. Desta vez, retorna com 24 conferências que irão abordar a questão da Colombiatex - Sistema da Moda - para o refletir na maneira de começar um Sistema de Moda, com o olhar para os sucedidos casos internacionais, tais como França, Itália, Inglaterra e Brasil, para ajudar a entender melhor e, ao mesmo tempo, incentivar os seus jogadores a tomar a iniciativa.


&
Empresas têxteis latino-americanas querem fim do contrabando

Tecidos chineses contrabandeados e alto preço do algodão prejudicam setor.

Representantes das maiores empresas têxteis da América Latina estão preocupados com a presença ilegal de tecidos chineses na região.

Carlos Eduardo Botero, diretor-executivo do Instituto para Exportação e Moda (Inexmoda), disse que os tecidos contrabandeados da China para a América Latina representam uma ameaça aos negócios legais.

“Temos muita ilegalidade”, denunciou ele. “Há muito contrabando, principalmente dos mercados asiáticos, através do Panamá. Pode ser que os asiáticos mandem [os tecidos] legalmente, mas a caminho daqui eles se tornam contrabando. [Os tecidos] deixam um país legalmente e chegam a outro ilegalmente”.

Os empresários da indústria têxtil de diversos países, incluindo Brasil, México e Portugal, compareceram à XXIII Feira Têxtil e da Confecção, o “Colombiatex das Américas 2011”, organizado pela empresa têxtil colombiana Inexmoda de 25 a 27 de janeiro em Medellín.

“O [Colombiatex das Américas 2011] gerou cerca de US$ 119 milhões (R$ 198 milhões) em negócios, um aumento de 7% em comparação com o ano anterior, quando foram negociados US$ 112 milhões (R$ 187 milhões)”, informou o Inexmoda em comunicado à imprensa.

Impacto negativo do contrabando

Botero afirmou que operar dentro da lei é a única saída para as empresas têxteis com sede na América Latina reduzirem o impacto negativo do contrabando de roupas e tecidos chineses.

“O caso da China é certamente preocupante – as empresas colombianas que não costumavam comprar daquele país o estão fazendo agora por causa da grande competição existente no setor”, explicou ele.

Botero disse ainda que está otimista com a indústria têxtil da Colômbia, mesmo que algumas empresas comprem tecidos e produtos relacionados contrabandeados da China.

“Tivemos um processo de reajuste na Colômbia”, acrescentou ele. “Os negócios estão em alta. [Pensamos] mais nos consumidores e em inovação. Acho que o futuro que nos espera na Colômbia é bastante interessante”.

O setor têxtil na Colômbia emprega 250.000 pessoas, além de gerar outros 750.000 empregos indiretos, destacou Botero.

O setor representa 8% do PIB (Produto Interno Bruto) industrial do país e 20% de todos os empregos industriais na Colômbia. 50% do PIB da indústria têxtil está baseado em Medellín, capital do departamento de Antioquia, detalhou Botero.

Rafael Cervone, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT), que exibiu 23 estandes na feira, disse que o Brasil está cada vez mais preocupado com o contrabando de tecidos chineses.

“Se analisarmos as estatísticas de 2010, os chineses afirmam que enviaram 70.000 toneladas de vestuário ao Brasil, e só recebemos legalmente 30.000 toneladas”, destacou ele. “A diferença foi contrabandeada”.

A indústria têxtil brasileira está representada por 30.000 empresas que geram quase dois milhões de empregos diretos e oito milhões no total, disse Cervone. O setor têxtil no Brasil emprega 1,65 milhão de pessoas, segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (ABIT).

Algodão é a ameaça

Juan Pablo Pellón, diretor da empresa mexicana Espintex, especializada em fio de algodão penteado, disse que o volume crescente de produtos ilegais contrabandeados da China e da Índia tem prejudicado o fluxo de produtos mexicanos para os EUA.

Em 2005, a participação da China nas importações de têxteis dos EUA era de 27,61% (US$ 27,4 bilhões ou R$ 45,7 bilhões). Mas em 2010, a participação passou para 41,21% (US$ 37,6 bilhões ou R$ 62,8 bilhões), um aumento de 13,6%, segundo o Escritório de Têxteis e Vestuário do Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

Pellón prevê que 2011 será marcado por uma forte demanda de exportação de têxteis mexicanos para países como Colômbia, El Salvador e Estados Unidos.

Os europeus não parecem tão preocupados com a presença chinesa no mercado.

Alfredo Rezende, presidente da Associação Seletiva de Moda, uma empresa têxtil sindicalizada de Portugal, afirmou que a origem dos problemas enfrentados pela indústria têxtil da América Latina reside no aumento crescente dos preços do algodão, e não no contrabando.

“[O preço do algodão] é um desastre – essa semana subiu entre 15 e 20%”, disse ele. “É loucura. Não podemos prever preços para os próximos três meses”.

Pellón concorda com Rezende sobre a correlação entre o aumento crescente no custo do algodão e o seu impacto no lucro de uma empresa.

“É muito difícil (a situação da indústria têxtil) porque o algodão sobe todo dia, e os preços que cotamos variam diariamente", explicou Pellón. “Não temos preços fixos”.

Toque sedoso de crescimento

O setor têxtil de outros países está em alta apesar do aumento nos preços do algodão e da competição crescente dos chineses.

Renzo Korch, que comanda uma empresa têxtil em Lima, no Peru, disse que “hoje, a indústria têxtil peruana está indo muito bem. O ano passado foi bom também, e esperamos que melhore ainda mais”.

Por causa da crise financeira internacional em 2009, mais de 80.000 dos 266.000 trabalhadores do setor têxtil ficaram desempregados, segundo a Federação Nacional de Trabalhadores Têxteis do Peru (FNTTP).

Korch disse que a indústria têxtil da região se recuperou e avança a passos firmes.

“Temos nos saído bem como sempre nos últimos cinco anos que participamos da Colombiatex”, afirmou Korch, que fabrica tecidos em algodão Pima, uma fibra "que existe somente no Peru por causa do seu brilho natural e toque sedoso".

fonte: infosurhoy