entrevista: jacob elias serruya( cinematographer)



com formação em direção de fotografia, vídeo e cinema, jacob serruya, 48, paraense, descendência judia, apresenta trabalhos premiados na área de curtametragem como o mulheres choradeiras, parcerias com o cineasta fernando segtovich e o também cinematographer lito mendes, ainda marília, com ronaldo salame, e o primeiro doc-tv-pará, eretz amazônia(os judeus na amazônia), exibido em rede nacional. consta também, o projeto saudade sábia, produção da tv cultura do pará, em portugal.
serruya já trabalhou em 12 campanhas políticas. diria que é o seu ponto forte. não, 'é um vício, que não para', diz-me. a sua inclinação profissional está na captação da imagem em movimento, desde os 22 anos de idade, quando iniciou na antiga agência de publicidade 'd'campos', em belém. são 24 anos nesse ofício. um projeto já está engatilhado. jacob serruya é o cara que dá a plástica na imagem. a luz da luz, da imagem.
sobre o imediato nas imagens, 'é o complicado', confessa, 'virou a prostituição no mercado. qualquer um pode fazer e com isso, estamos perdendo espaço. antes, para fazer um trabalho, tinha que contratar um profissional da área, o que não acontece atualmente. isso é muito triste, e é um dos motivos que está me deixando preocupado, porque eu vivi muito de freelancer e hoje não consigo mais'.
para serruya, mahmoud ahmadinejad(irã) é um maluco e a intenção dele é atacar israel, 'mas está difícil'. provavelmente, após a copa, o nosso cinematographer partirá para israel, com a família.

- entrevista concedida na biblioteca da cultura, em 31/01/2012.
- imagem: cris moreno